Questionário Proust por Lucinha Araújo


Salvem os Gatos, com muito orgulho, apresenta o Questionário Proust, com a admirável Lucinha Araújo. Garra, força, amor, humor são as palavras que ajudam a definir esta  Mãe, 
símbolo brasileiro na luta contra AIDS. Lucinha, à frente da Sociedade Viva Cazuza, a cada dia transforma em realidade sua frase favorita: "Quem tem um sonho não dança".  



"Viva e deixe viver"
(Foto: Frederico Mendes)



Qual é sua ideia de felicidade perfeita?

A ideia é que é uma mentira, não existe.

Qual é seu maior medo?

Olha, eu já vi tanto na minha vida que eu não tenho medo de nada, nem de morrer.

Qual é a pessoa viva que mais admira?

Eu admiro muitas pessoas, mas tem uma pessoa que eu admiro muito, que é o Caetano Veloso, pela personalidade, pelas coisas que ele vai deixar.

Qual o traço de personalidade que mais abomina em si mesma?

Mania de perfeição. É uma coisa horrível, triste, eu sou perfeccionista. Então eu sofro muito com isso, mas agora já não tá mais na idade de mudar defeito, então eu tenho que segurar este, ver se eu amenizo. 

Qual o traço de personalidade que mais abomina nos outros?

Falta de sinceridade.

 Qual é sua maior extravagância?

Ah! Achar que o meu filho é perfeito.

Qual é sua viagem favorita?

Qualquer uma. Eu adoro tanto ir para Angra quanto para Paris. Adoro fazer mala.

Qual virtude considera a mais supervalorizada?

Depende da pessoa.
  
Em que ocasião você mente?

Olha, eu não minto muito não, eu às vezes quebro a cara, pois eu tenho mania de falar a verdade. Minto muito pouco.

O que menos gosta a respeito de sua aparência?

Ser gorda. Eu gostaria de ser magra, eu acho que a mulher magra carrega tudo bem. Eu já fui muito magra, mas depois de velha, engordei. E não faço a menor força para emagrecer, diga-se de passagem.

Que palavras ou frases você usa demais?

Difícil, essa pergunta é muito difícil de responder, porque eu sou muito falante, portanto devo ser muito repetitiva também. 

Qual é seu maior arrependimento?

Foi ter tido só um filho. Não é bem um arrependimento, é que eu não consegui ter mais. E eu tenho muita pena de só ter tido um filho.

Que ou quem é o maior amor de sua vida?

Cazuza e João, naturalmente. São as pessoas das quais eu me orgulho enquanto viver.

Quando e onde foi mais feliz?

Na maternidade.

Qual talento você mais gostaria de ter tido?

Eu tô muito feliz com os talentos que a vida me deu, mas eu gostaria de ser muito inteligente. Eu não sou burra, mas também não sou como gostaria de ser. E agora também já é muito tarde.

O que considera sua maior realização?

A Sociedade Viva Cazuza eu considero a minha maior realização.

Se fosse morrer e pudesse escolher voltar como pessoa ou coisa/objeto, o que acha que escolheria? 

Um cavalo. É o animal que eu mais gosto.

Qual é seu bem mais valioso?

Meu bem mais valioso são as minhas memórias.

Qual é sua ocupação favorita?

Trabalhar. Porque eu acho que o trabalho é a coisa mais edificante pro ser humano, A pessoa que não trabalha não consegue nem amar.

Qual é sua característica mais marcante?

O meu temperamento.

O que dá mais valor em seus amigos?

Amizade sincera, porque hoje em dia... Amigo a gente tem que guardar no lado esquerdo do peito, como diz Milton Nascimento. É muito difícil você chegar aos 78 anos e ainda conservar seus amigos de sessenta anos atrás. 

Quem são seus escritores favoritos?

Eu não tenho favoritos não, eu mudo conforme eu tô lendo, atualmente  tô lendo um livro, que eu até escrevi a orelha, de uma pessoa desconhecida que veio aqui me pedir, e o livro vai ser lançado na terça-feira agora. Ele é de um cara que perdeu um filho, o único filho, então eu estou muito interessada nesse livro. O nome é “Nem a morte nos separa”. 

Quem é seu heroi favorito da ficção?

Eu não tenho.

 Quem são seus heróis favoritos da vida real?

Ah! Da vida real, meu filho eu acho que foi um grande herói e o João também. Dois temperamentos completamente diferentes.  Mas o João foi a pessoa que eu me orgulhei muito de ter ficado casada com ele por cinquenta e sete anos.

O que mais detesta?

A desigualdade social.

 Como gostaria de morrer?

Dormindo.
  
 Qual é o seu lema?

Viva e deixe viver.


Lucinha Araújo para os Salvem os Gatos
(Foto: Frederico Mendes)